Cinco erros mais comuns de quem fala em público – Parte I

Recentemente o consultor Terry Gault, vice-presidente do Henderson Group e preparador de palestrantes desde 1997, escreveu um artigo sobre os 10 erros mais comuns de quem fala em público. Segui as ideias principais de Gault, dividi o material em duas partes, e acrescentei algumas experiências próprias, visando adequar à realidade dos brasileiros. Espero que gostem!

1. Não se preocupar com os gestos

Falar em público requer não apenas a habilidade de se comunicar com palavras, mas também requer um bom domínio da sua expressão corporal.

Existem inúmeros artigos que recomendam evitar manter as mãos nos bolsos, ou cruzar os braços, etc. O fato é que um gesto pode reforçar a ideia que você quer transmitir. Mas para isso, ele precisa ser visível por todos. Por isso, em geral se recomenda aos palestrantes profissionais adotar gestos largos, e minuciosamente estudados para causar o efeito desejado.

steve_jobs

Adoto como método de trabalho a gravação em vídeo dos ensaios. Só assim o executivo consegue enxergar os problemas de expressão corporal apontados. Recentemente, foram reveladas fotos de Adolf Hitler durante os ensaios para seus discursos. Tudo indica que o material foi feito a pedido do ditador, para observar o efeito que seus gestos e expressões causariam no público. Em uma das fotos, é possível observar um espelho de corpo inteiro no ambiente….

2. Falta de energia

Por nervosismo ou mesmo por uma característica individual, muitas pessoas tendem a adotar um tom único durante sua apresentação. Ou falam baixo, ou falam sempre no mesmo ritmo. Esse é um dos mais poderosos soníferos que eu já vi…

bored-audience-510

Um orador entusiasmado, que demonstra confiança ao falar, contagia a plateia. Não se trata de falar rápido ou gritar. Trata-se de transmitir energia na fala. Um caminho para isso é acreditar na mensagem a transmitir. E seguir as outras regras que são indicadas neste texto…

3. Falta de planejamento

A grande maioria dos profissionais, solicitados a preparar uma apresentação, abrem uma tela em branco do Powerpoint. Eu sempre digo que não é a melhor opção, mas temos que respeitar a forma como cada um trabalha. Contudo, é comum encontrar falhas neste processo de trabalho, com perda de nexo entre um slide e outro, falta de coerência e coesão na mensagem.

starting01_normalview

Planejar uma apresentação de sucesso requer algumas etapas que são melhor desenvolvidas por escrito. Por isso, sempre recomendo começar pelo editor de texto. Como se dizia antigamente “comece colocando suas ideias no papel”. A primeira tentativa pode ser difícil, para quem não está acostumado a escrever. Mas com alguma persistência, os bons resultados aparecem.
Caso não tenha tempo para se dedicar a isso, contrate um profissional com experiência em contar histórias. Ele conseguirá captar a mensagem que você precisa transmitir, e escreverá um discurso poderoso e eficiente. Depois, é só montar uma apresentação visual que apoie as ideias.

4. Falta de ensaio

Além de planejar suas apresentações, Steve Jobs ensaiava de 8 a 9 horas seguidas na véspera de cada lançamento de produto. Não é mágica, é apenas uma fórmula que dá ao palestrante a confiança necessária.

Dedique-se aos ensaios e, em pouco tempo, o discurso ficará tão automático que você poderá se ocupar de outros detalhes, como postura, pausas, frases de efeito, brincadeiras com a plateia, etc.

Não reservar espaço na agenda para algumas horas de ensaio é uma péssima estratégia. O contra-argumento que eu mais ouço a este conselho é: eu gosto de improvisar. Tudo bem! O improviso é uma caixinha de surpresas, mesmo para quem tem experiência. São tantas as variáveis, que o resultado pode ser muito bom… ou muito ruim. Eu prefiro ensaiar!

5. Exagerar na apresentação de dados

Apresentações de produtos ou serviços buscam, em geral, apoiar seus argumentos em fatos e dados estatísticos. Isso é bom, porque traz credibilidade. Porém não se pode exagerar, nem basear uma apresentação apenas no desfile de gráficos, números, relatórios e estatísticas. Isso cansa. Isso é chato!

Ao invés de ocupar o tempo com o desfile de números, conte uma história! Pessoas gostam de ouvir histórias, e se ela for bem elaborada, conseguirá aquilo que centenas de gráficos talvez não consigam: encantar e emocionar a plateia.

11-12_tell_a_story

Mais uma vez, se você acha que não tem habilidade para escrever ou contar uma história, contrate um profissional com experiência para fazer isso por você. O resultado certamente será recompensador!

Estas são algumas ideias que vão contribuir para que suas apresentações tenham mais impacto, e tragam os resultados que você deseja. Em outro post, completarei a lista de 10 erros mais comuns (e como evitá-los!).

Se quiser conversar a respeito, entre em contato e vamos juntos encontrar uma forma de aprimorar suas habilidades de apresentação em público.

Fonte: Artigo original 10 Common Rookie Mistakes in Public Speaking, escrito por Terry Gault, Managing Partner and Vice President of The Henderson Group.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s